Como encontrar a Aurora Boreal – o guia do aventureiro

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Autor: Maria Macarov-Burnichi

Artigo traduzido por: Denisa David

Muitos de nós temos uma lista de coisas que gostaríamos de fazer ou ver pelo menos uma vez na vida. Quando começar a procurar por uma aventura, a Aurora Boreal é definitivamente um dos primeiros objetivos que desejas ver. É por isso que preparamos um pequeno guia para ajudar os aventureiros de todo o mundo a realizarem este sonho.

 

O que é a Aurora Boreal?

A Aurora Boreal é um dos fenómenos mais espetaculares da natureza. Ocorre durante as tempestades geomagnéticas, como resultado da colisão entre as partículas do vento solar com as partículas de nossa atmosfera. O resultado desta colisão é a Aurora Boreal, que pode aparecer em inúmeras formas e cores. Na maioria das vezes, aparece como um brilho difuso de cor verde no céu polar, mas muitas vezes, vemo-lá sem nos dar conta.

Esta magnífica manifestação de cores ilumina o céu polar e também os nossos corações …

Como existem diferentes tipos de gases na atmosfera, cada uma das suas interações com as partículas do vento solar pode dar uma cor diferente. Por exemplo, a cor vermelha ocorre quando as partículas solares interagem com o oxigénio a mais de 200 quilómetros acima da terra, enquanto se as mesmas partículas interagem em altitudes de 90-200 quilómetros, a Aurora apareceria em tons de verde. A cor mais rara que a Aurora Boreal pode ter é o branco-acinzentado, razão pela qual muitos aventureiros, quando a vêem dessa forma, a consideram como as nuvens.

Esta magnífica manifestação de cores que podem iluminar tanto o céu polar quanto os nossos corações é tão fenomenal quanto imprevisível. Infelizmente, não depende de nós se ela será visível ou não, mas existem algumas coisas que podemos considerar para aumentar as nossas chances consideravelmente.

1. Localização

O lugar onde estás pode determinar se verás ou não a aurora boreal. Os lugares mais populares onde as pessoas vão para procurar a Aurora na Europa são Tromsø e Nordkapp na Noruega, Abisko e Kiruna na Suécia e Rovaniemi na Finlândia, mas qualquer cidade ou lugar ao norte do Círculo Polar Ártico pode ser bom.

Além disso, não é apenas a cidade em que estás que importa. A área em que estás deve estar completamente escura. A poluição causada pelas luzes da cidade (lanternas, faróis etc) e a poluição causada por carros e fábricas podem reduzir as tuas chances de ver as luzes do Norte. Portanto, é melhor ir para algum lugar fora da cidade, onde esses fatores não existam.

2. O clima

Para poder ver a Aurora Boreal, o clima deve estar entre os primeiros aspectos a se levar em conta. Por melhor que seja o lugar em que estás, se o céu estiver nublado, as tuas chances de captar o momento em que as cordas coloridas dançam no céu são minimizadas.

3. O período do ano

As luzes do Norte sempre existem. Eles simplesmente não são visíveis todo o tempo, quer por causa da atividade solar que é muito fraca para serem captados a olho nu, quer por causa das condições climáticas. Observou-se que, em geral, eles podem ser capturados na maioria das vezes entre 21 de setembro e 21 de março. Embora a Aurora se manifeste também nos outros meses do ano, o dia polar pode ter 24 horas quando estás mais ao Norte, em que a ausência de luz do sol torna impossível a captação do fenómeno.

Isso nos dá seis meses para ousar-nos ir para o Norte, com a esperança de tirar uma foto perfeita do céu colorido. No entanto, nem todos os meses deste período são ideais. Dezembro e Março são, infelizmente, meses extremamente nublados e chuvosos, o que também reduzirá as chances de avistar a Aurora Boreal.

4. Seja muito paciente

Quando vais à procura da Aurora Boreal, é bem possível pensar que basta estar num lugar escuro, no ponto mais norte da Europa, com um céu suficientemente claro para contar cada estrela. Paciência, no entanto, seja talvez a chave. Alguns aventureiros têm a sorte de ver Aurora desde a primeira hora que esperaram por ela. Outros, porém, podem passar noites inteiras, do pôr do sol ao nascer do sol, sem vê-lo, daí que, justamente quando quisessem desistir e fossem embora, surgirá o fenómeno tão esperado.

Por último, mas não menos importante, não se deve ir ao Círculo Polar Ártico só para ver a Aurora Boreal. Há muitas coisas para ver e fazer: desde andar de trenó carregada pelos Husky até alimentar as renas e esquiar nas encostas do Norte. Então, não precisas fazer da Aurora Boreal o destino principal, só um bónus adicionado a uma viagem memorável no grande Norte.

Fontes:

Veja aqui um artigo sobre Algarve em 10 passos e passeios de cortar a respiração.

 1,109 total views,  1 views today

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *