Todas as relações que vais ter na tua vida (a 1ª parte)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
relaciones, relazioni, relações, relazioni, relações, relaciones, relatii
Fotografia: pexels.com

Como seres humanos, somos sempre influenciados pelas relações que temos com várias pessoas durante a nossa vida. Desde crianças, precisamos de comunicar e partilhar sentimentos e experiências com os outros. Mas, com a passagem do tempo, descobrimos que há mais neste mundo do que uma simples relação: há conexões com poderes tão incríveis, que nos mudam completamente.

Quer falemos sobre amizades ou relações amorosas, às vezes não podemos deixar de reparar que sentimos uma forte atração por certas pessoas que encontramos, diferente do que estaríamos habituados. Parece que são conexões que transfiguram a nossa realidade ou que passam além do mundo físico. Mas também mexem com as nossas cabeças, especialmente quando acabam de repente. Por que é que algo tão bonito tem de ser mesmo complicado? Por que permitimos que alguém nos magoe várias vezes?

Há conexões que mexem com as nossas cabeças e transfiguram a nossa realidade.

Dum ponto de vista mais espiritual, entender os tipos de relações da nossa vida é algo vital para alcançar aquele despertar da espiritualidade. Por quê? Porque aprendemos a fazer algumas diferenças entre as pessoas que têm de ficar connosco a longo prazo e as que só representam uma lição. Aprendemos a libertar-nos do que não é, de facto, para nós.

Se quiseres fazer isso, tenta esclarecer quais são (ou foram, também) as pessoas mais significativas da tua vida. Em seguida, vais ver as caraterísticas de três tipos de relações conhecidas neste mundo espiritual: as relações cármicas, com uma alma gémea ou com um twin flame (chama gémea, em português). Talvez consigas receber claridade sobre algumas conexões que te marcaram.

As relações cármicas – não feitas para durar

A relação cármica é, com certeza, uma que já conheces e experimentaste. É aquela conexão mágica, muito passional (especialmente nos casos das relações amorosas), mas cheia de turbulências e sofrimento ao mesmo tempo. Por isso, representa só uma ferramenta para o próprio desenvolvimento pessoal, e não é feita para durar. É, em termos mais espirituais, um contrato entre os parceiros, para que corrijam os comportamentos negativos das vidas anteriores e que aprendam a curar.

Desde o início, forma-se uma conexão instante e magnética entre duas pessoas. A atração é inexplicável, e podes sentir que já nem podes viver sem o teu parceiro. Mas, independentemente de quanto os dois tentam fazer as coisas funcionarem, a paz não é uma caraterística constante nesta situação. O pior quando te encontras numa relação cármica é que, apesar de os outros dizerem que esta tem de acabar, porque só causa danos, não queres abandonar o teu parceiro, dado que parece perfeito para ti.

Com este tipo de relação, qualquer discussão ou dificuldade no caminho (e há muitas) parece o fim do mundo. É essa intensidade dos sentimentos que provoca problemas de comunicação. Um dia tudo está bem, mas no seguinte tudo se transforma numa luta. É um círculo vicioso, que apenas provoca frustração e exaustão. Aqui, há mais lados negativos do que positivos, e algo sempre vai parecer errado.

A raiz do problema é que, sendo uma relação baseada muito numa forte atração física, há uma codependência…

A raiz do problema é que, sendo uma relação baseada muito numa forte atração física, há uma codependência. É um traço tóxico, porque só te leva a pensar todo o tempo naquela pessoa e consome os teus sentimentos, tornando-se numa obsessão. Também leva a uma falta de equilíbrio, porque uma das pessoas vai tentar fazer todo o possível para manter a relação, enquanto a outra vai ter uma atitude narcisista.

É difícil desistir de uma tal relação, mas é preciso. Tens de aceitar os traços tóxicos desta conexão, para não te encontrares em vários outros ciclos cármicos de novo. Este tipo de relação vai ensinar-te sobre o mundo, outras pessoas, outros pensamentos, mas não necessariamente sobre autoestima. É uma experiência importante, mas, no final, o único que importa é que te respeites e que entendas que mereces relações saudáveis, com pessoas que não te vão limitar.

A relação com uma alma gémea – uma união divina

As almas gémeas das nossas vidas existem sob várias formas: pode ser a tua mãe, a tua melhor amiga, a pessoa amada, ou até o estrangeiro que conheceste por algumas horas e nunca viste mais. A relação com uma alma gémea (também conhecido pelo termo em inglês, soulmate) é muito especial, porque esta pessoa representa a outra metade da tua alma; com as qualidades e até os defeitos, completam-se um ao outro. E sim, podemos ter mais de uma alma gémea nesta vida.

Como nas relações cármicas, há um reconhecimento imediato da tua alma gémea, e sentes que já a conhecias, embora não seja o caso. Mas a diferença entre os dois tipos de relações é enorme: com uma alma gémea, nada que dizes parece errado ou estranho, tudo decorre naturalmente e a sinceridade é um traço claramente visível.

Ela mostra-te um certo carinho, só usando palavras. É uma pessoa que te traz toda a felicidade do mundo e que sempre te vai apoiar, e o tempo passado com ela é sagrado. A verdade é que a conexão entre as almas gémeas é tão forte e intensa que nem precisam de estar fisicamente juntas, entendem-se sem problemas; a comunicação entre as partes é boa, e podem ter conversas sobre assuntos profundos sem dificuldade.

A conexão entre as almas gémeas é tão forte e intensa que nem precisam de estar fisicamente juntas…

É, sem dúvida, uma conexão espiritual, uma conexão das almas e das mentes. De facto, especialmente no caso das relações amorosas, é muito comum reparar que o teu parceiro não é necessariamente “o teu tipo”; o aspeto físico nestas relações não é o mais importante. Há aquele conforto, aquele conhecimento dentro de ti, há algo que te assegura que é a pessoa certa para ti. Partilham a felicidade, o sofrimento, os medos, os objetivos de vida, até os pensamentos às vezes (podes descobrir que já sabes como a tua alma gémea se sente ou o que pensa sem falar com ela). Há um alinhamento perfeito entre as almas gémeas, insubstituível.

Contudo, conheces a tua alma gémea para te tornar na melhor versão de ti mesmo. Não é uma relação perfeita porque também existem alguns momentos mais difíceis, mas duas almas gémeas sempre vão ter a capacidade de resolver tudo. Porque o amor é real e duradouro, e nunca tens de esconder o que realmente sentes. Conheces esta pessoa no momento perfeito, em que precisas dela mais: quando tens de exceder os teus limites e aprender o que representa o verdadeiro respeito por alguém e pelo amor próprio.

Os twin flames – uma história um pouco mais complicada

A relação com uma chama gémea, mais conhecida pelo termo em inglês twin flame, é a mais espiritual, rara e forte conexão. A complexidade dela transforma-a, seguramente, numa combinação entre a relação cármica e a com uma alma gémea. Há várias etapas e caraterísticas desta relação, sobre as quais vais descobrir mais num artigo seguinte. Quem sabe, provavelmente tu és uma das pessoas que teve a sorte de encontrar o twin flame dela nesta vida!

Tenta entender as relações da tua vida, porque nunca conheces pessoas acidentalmente!

Quer saber mais sobre a nossa revista, HOLISTIC? Aqui tens algumas informações!

 946 total views,  2 views today

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *