Dia da Língua Inglesa, a rainha “cool” por mais de 1400 anos

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dia da Língua Inglesa
Foto: pexels.com

É dia da língua inglesa na sua versão moderna, mas sabem quão é antiga? Para compreender a importância do inglês hoje em dia é indispensável conhecermos um bocado o seu passado. Embora seja falado por bilhões de pessoas a nível mundial, poucos sabem a origem e evolução do inglês. Por mais interessante que seja a sua história, é ainda mais importante reparar no poder desta língua no presente.

Para quem estudou, está a estudar ou vai estudar o inglês, todos vão reparar na peculiardidade desta língua. A maioria nunca vai perceber porque não se lêem todas as letras de uma palavra, porque não tem género ou porque é Shakespeare tão importante. Os que se dedicam ao ensino e estudo do inglês nunca param de exprimir o seu amor por essa língua igualmente acessível e difícil. Eles e todos temos que celebrar hoje o Dia da Língua Inglesa!

Princípios, meio, mas esperamos que sem fim

Podemos falar do inglês em três fases grandes: Inglês Antigo (século V – século XI), Inglês Médio (século XI – século XVI) e Inglês Moderno (século XVI-presente)

  • Inglês Antigo – sabiam que o inglês é uma língua germânica desde que os povos que se estabeleceram aqui foram os Anglo-saxões, quer dizer, um povo germânico?

Quem pode ser considerado nativo nessas ilhas são os celtos. Depois, desde 43 d.C. até ao século IV nas ilhas não se falava inglês, mas latim! Como assim? Pois, até lá é que se extendia o Império Romano. Foi nos anos 400, após a dissolução do Império Romano, que os tribos germânicos – anglos, saxões e jutos – começaram a invadir a ilha dispersando os últimos celtos que sobreviveram à invasão românica.  Eles começaram a saquear esses povos nativos que foram empurrados para Escócia ou Irlândia. Alguns nomes celtos ficaram em nomes geográficos.

Para celebrar o Dia da Língua Inglesa vais ler o quê? Escreve-nos um comentário!

Uma vez os Anglo-saxões estabelecidos lá, aquilo que sabemos nós como “inglês” começou a existir. Até a etimologia da palavra “inglês” provém do sintagma “dos anglos”. Após, houve a adotação do alfabeto latim, simultânea à conversão para cristianismo desses povos que, até naquela altura, usavam runas. Não temos uma data quando o inglês começou mas o que sabemos é que o 23 de abril é o Dia da Língua Inglesa!

As ilhas britânicas nunca tiveram um momento de paz!

Após os celtos, anglo-saxões, veio o tempo dos Vikings! Desde os anos 700 Inglaterra começou a ser invadida por esses povos bárbaros da Escandinávia. A língua que eles falaram chamava-se antigo nórdico. Para facilitar a conversa entre essa língua e o inglês antigo, o povo recorreu a simplificar a linguagem. As inflecções verbais e os gêneros dos substantivos desapareceram. É por isso que não temos o conceito de “masculino” e “feminino” no inglês moderno.

Para celebrar o Dia da Língua Inglesa, diz-nos: tens um autor britânico preferido?

A literatura desenvolveu-se mais por via oral do que escrita. Não temos muitas inscrições na língua anglo-saxã Todavia, mais destaca-se Beowulf, um poema escrito no século VIII sobre a vida de um herói epónimo. Ele vem à ajuda do rei Hrothgar, cujo reino era aterrorizado por um monstro chamado Grendel. Beowulf matou o monstro, virando eventualmente rei dos gautas por 50 anos até um dragão ameaçar o seu reino. Ele ataca e mata o dragão, mas morre também no processo.

Vamos ouvir o Inglês Antigo de Beowulf...

Entra em cena o Inglês Médio

  • Inglês Médio – sabiam que desde este período é que podemos falar de “inglês” devido à contribuição em escrita de vários autores, entre os quais o Rei Jaime I de Inglaterra que traduziu a Bíblia para inglês?

Um ano conhecido por todos os aficionados de inglês é 1066 – Conquista normanda quando o Duque da Normândia, Guilherme, o Conquistador, derrotou Haroldo II, o último rei anglo-saxão, na Batalha de Hastings. Desde agora começamos a falar no Inglês Médio.

Se não sabias, o francês faz parte da família das línguas românicas derivada do latim! Lê aqui o texto que explica muito bem a origem dessa família e do francês e do português.

Não é uma coincidência que os nativos de línguas românicas (português, espanhol, italiano, francês e romeno) acham que algumas palavras em inglês são muito semelhantes às suas línguas – é porque uma das maiores influências foi o francês falado pelos normandos

Inglês de origem

anglo-saxónica

Inglês de origem 

latina

Português
twelve dozen dúzia
way maneira maneira
wedding matrimony matrimónio
skill ability habilidade
maze labyrinth labirinto

Fonte: palavrasvertendo.blogspot.com

Dentro de todos os lugares importantes – da administração, da monarquia, da igreja – falava-se sempre o latim ou o francês, enquanto o inglês falava-se em circunstâncias coloquiais. O povo comia pig, palavra algo-saxã e os nobres comiam pork, palavra de origem latina. Na altura era impossível festejar o dia da língua inglesa enquanto o orgulho estava em falar francês.

A dificuldade da pronúncia inglesa vem das mudanças na fala influenciadas pelo francês que não foram alteradas em escrita também. Falamos então numa assincronia entre escrita e pronúncia que até hoje em dia não mudou.

Não podemos passar para o último período do inglês – o contemporâneo – sem mencionar os motivos reais para celebrar o dia da língua inglesa: a literatura que começou a florescer durante estes tempos da Idade Média. Vale a pena lembrar de Sir Gawain and the Green Knight (1375), The Canterbury Tales (1387-1400) e Everyman (1510).

A obra mais famosa fica no meio, Os Contos de Cantuária, escrita por Geoffrey Chaucer, é uma coletânea de histórias de 29 vários peregrinos de várias camadas sociais – Carpinteiro, Cozinheiro, Jurista, Marinheiro, Prioresa, Médico, Mulher de Bath, Estudante, Mercador. É inspirado no Decamerão de Boccaccio. Vamos ouvir um bocado do Inglês Médio do Canterbury Tales: 

Entra em cena o Inglês Moderno

  • Inglês ModernoShakespeare, a colonização e o iPhone – todos são considerados parte do inglês moderno e razões pelas quais falamos no inglês como em “lingua franca“.

Entre os fatores que mais levaram o inglês para ter a popularidade tão conhecida são: a literatura britânica e o reconhecimento da Rainha Isabel I daquilo que era o mais valia – Shakespeare; a força da Rainha Vitória de liderar o império onde o sol nunca põe do qual nasceram tantas colónias e o maior poder global – Os Estados Unidos da América. E, assim, cheagmos ao inglês que conhecemos nós.

Na minha opinião, a melhor parte do inglês começa agora! Desde o Renascimento, para o Iluminismo, para Romantismo, Vitorianismo, Modernismo – a essência da beleza do inglês fica na sua literatura e autores. É agora mesmo que celebramos o Dia da Língua Inglesa.

E há quem merce mais ser celebrado no dia da Língua Inglesa do que Shakespeare? Of course not!

Shakespeare é muito mais do que o maior escritor inglês (ou até mundial, ao meu ver…). Além de enriquecer, por si mesmo, o vocabulário do inglês com palavras e expressões novas, as suas obras ainda são amadas porque não pertencem ao seu período, mas à humanidade. Consegue meter em poucas palavras os mais profundos sentimentos humanos, tocando também em assuntos políticos, domésticos e ensinando, informando e divertindo os seus leitores. Ensina-nos o que é o ser humano, sem ter em conta da sua condição social. 

Durante o Iluminismo, a igreja começou a perder território ao favor da razão ou até da medicina. Através do Robinson Crusoe do Defoe e o Gulliver do Swift aprendemos quão importante é a viagem fora do espaço confortável para a evolução humana. Começamos a reconhecer a necessidade de encarar a verdade brutal para aprender a agir. Começávamos a pensar naquilo que era de verdade “bom” e “mau”.

Agora já estamos fartos em sempre pensar demasiado e queremos sentir! Com a ajuda dos poemas desses escritores britânicos, começamos a pensar na beleza e inocência da infância, no dom da natureza. Wordsworth colocou os alicerces desta tendência literária, insistindo no desejo pela unidade da alma e no sublimo – paisagem ou experiência após a qual somos transformados para sempre, experimentando ao mesmo tempo medo, admiração e pânico. O poema dever ser o transbordamento espontâneo de emoções, nas palavras de Wordsworth.

Que os ingleses são um poder mundial, já sabemos. Mas o evento que engatilhou o modo em que vivemos as nossas vidas de hoje foi: o industrialismo – que começou na Inglaterra. Agora, a arte devia ir ao contrário do romantismo e deveria refletir a realidade, por muito infeliz que seja. As mulheres começaram também a ter uma voz no mundo.

Para celebrar o Dia da Língua Inglesa qual é a tua palavra preferida em inglês? Escreve-nos um comentário!

Austen colocava em balança o urbano e o rural, o dinheiro e a pobreza, a sensibilidade e o bom senso – incentivando adaptações de Orgulho e Preconceito ou Emma até em 2020, sinal que a sua visão é imortal.

A Primeira Guerra Mundial chegou e destruiu tantas vidas e a Segunda está para chegar. Neste período cheio de tanta instabilidade a quem importa a forma, as palavras, o bom senso? Os modernistas vão oposto a todos até agora. Woolf e Joyce experimentam com o fluxo de consciência e com o discurso indireto livre para transcrever no papel a rapidez dos pensamentos humanos. Mudamos do exterior da pessoa para o seu interior.

São esses heróis os motivos pelos quais vale a pena celebrar o Dia Internacional da Língua Inglesa! Inglês, Americano, Australiano – não importa! O que é importante é esta língua que se espalhou pelo mundo e tanto inspirou quanto recebeu inspiração que levou à criação de obras sem prazo de validade.

Hoje em dia, o inglês é tanto a língua oficial de 53 países quanto das: Nações Unidas, União Europeia, Comunidade das Nações, Conselho da Europa, OTAN e muitas outras organizações.

Para celebrar o Dia da Língua Inglesa, pensa em alguns dos empréstimos do inglês na tua língua! Agora percebes a importância do inglês?

Fontes:

 408 total views,  6 views today

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *