Rio de Janeiro: chegar lá usando a imaginação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Rio de Janeiro
Pixabay.com

Uma viagem imaginária ao Rio de Janeiro é tudo o que se precisa de vez em quando… Abrir os olhos e ir da escuridão do sono para o azul sonhador do mar foi uma sensação que fez a minha alma tremer, mas que foi difícil de explicar usando palavras simples. Viajando toda a noite no autocarro, não consegui ver as belezas que se desdobravam diante dos meus olhos fechados e cansados. 

Só os primeiros raios de sol e o burburinho dos viajantes que começavam a acordar chamaram a minha atenção. Após um voo através do oceano, deixando a bela Europa, após longos caminhos viajando de carro, finalmente chegou. Rio de Janeiro. Cultura, riqueza, cores, uma mistura que foi para mim como uma overdose que encantou os meus sentidos e, por um momento que parecia interminável, esqueci-me de todos os meus planos. 

Os gritos das aves lembraram-me que tinha coisas para fazer e que tinha de ir encontrar-me com os meus anfitriões, pessoas amáveis que tinham concordado imediatamente para eu ficar com eles. Quando cheguei, observei todos aqueles olhos suaves sobre mim. Nunca tinha sido uma menina apelativa, mas adivinhei que era o meu aspeto europeu que os fazia olhar assim para mim. 

Acenei com a cabeça em resposta ao seu convite para ir a um piquenique, mas não esperava que fôssemos à praia. Se eu soubesse, teria usado o meu protetor solar, embora adorasse a dança dos raios solares na minha pele, nunca me arriscaria a expor-me demasiado. Os meus olhos abraçaram, numa imagem global, duas extensões que se fundiram como amantes: a areia dourada e o mar azul

A mais bela história diante dos meus olhos, uma história em que eu era a personagem principal. O primeiro contacto com a gastronomia local foi outra oportunidade para descobrir tudo o que o Rio tinha para oferecer. As “Empadas” e a famosa “Feijoada” ensinaram-me tudo sobre o gosto tradicional

Já sonhava em ver a estátua gigantesca de Jesus Cristo, símbolo do Rio de Janeiro, quando também estava a tentar ter uma conversa em português com os meus anfitriões. Fiquei admirada com a multiplicidade de coisas que aprendi num único dia. À medida que a noite se aproximava, as luzes foram acesas e preparamo-nos para um espetáculo de cortar a respiração. 

Não perdi a longa caminhada junto ao mar, quando levei algum tempo a respirar o ar fresco e a analisar o mundo à minha volta. Não vi senão um mundo despreocupado, um mundo que rejubilava com os pequenos prazeres da vida e transbordava de um brilho natural, específico da vivacidade de um país que ainda é jovem. 

Rio de Janeiro, uma cidade espetacular  

A tarde passou muito rapidamente, os dias transformaram-se em semanas e o tempo voou como se eu tivesse estalado os dedos. Todas as noites testemunhei um espetáculo de vida. Os bares do Rio foram um verdadeiro deleite. As gargalhadas, os cheiros, os sons compunham a rapsódia do Rio. Era quase impossível aborrecer-se ali, porque o espírito carnavalesco no ar mantinha a cidade viva. As ruas eram tão coloridas como os quadros dos pintores, ilustrando uma paisagem pitoresca onde reinava a tradição latino-americana. rio de janeiro rio de janeiro rio de janeiro  rio de janeiro rio de janeiro 

O transporte estava cheio de turistas a rir e a tirar fotografias, enquanto um rapaz fixava cartazes por todo o lado, anunciando outro evento que iria ter lugar. Também fiquei encantada por ver os fatos, as danças e ouvir as canções. Não foi apenas a azáfama da cidade à noite que eu adorei, mas também os momentos de solidão, com uma limonada na mão, caminhando sobre conchas, enquanto o meu nariz era tocado pelo cheiro de toranja. Durante esses dias, distingui tantas cores que me senti como uma artista: marfim, turquesa, terra de siena e malva. 

 

As praias isoladas eram perfeitas, adequadas para a meditação e para a incursão no interior, para encontrar os meus desejos, os meus medos, a minha felicidade e para me descobrir como um ser. Os meus pensamentos tilintavam. Os meus pensamentos tinham o sabor do mel e uma textura fluida. Portanto, a América Latina tinha-me ensinado coisas sobre mim. 

Mas a vida real era caracterizada por lojas onde se podia comprar o que se quisesse e, muito frequentemente, comprar barato. Comprei para mim lembranças que lembram aqueles dias coruscantes. Tinha passado um tempo muito bom a explorar o Rio de Janeiro. Esperava regressar o mais depressa possível. 

Ouço uma voz. Será possível que a minha viagem acabe por ouvir uma voz tão familiar, agora que estou entre estranhos? Os meus olhos abrem-se mais uma vez, mas não é o mar que eu vejo. Os ramos de uma árvore cobrem o céu e eu cheiro as folhas verdes. Ao meu lado, um livro sobre… a América Latina. Assim, sonhei com uma viagem, uma viagem imaginária que durava semanas e apenas duas horas. A minha paixão pela América Latina e a minha mente criativa foram capazes de criar uma viagem imaginária perfeita, que espero experimentar um dia. 

Interessado numa viagem verdadeira? Podes ler aqui sobre 10 lugares de Algarve que vão cortar a tua respiração!

 596 total views,  2 views today

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *