7 de setembro de 1822 – O Brasil ganha a sua independência de Portugal

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Independência do Brasil
Fotografia: https://pixabay.com/ro/

7 de setembro de 1822 foi o dia que o D. Pedro I proclamou a independência do Brasil, às margens do rio Ipiranga, localizado na cidade de São Paulo. Este dia é sempre celebrado por todos os brasileiros, pois foi o dia que o país finalmente rompeu com os laços coloniais que existiam entre o país e Portugal. O processo de obter a independência foi similar com os movimentos que aconteceram nas colônias da Espanha.

Toda a ação foi atribuida ao Pedro de Alcântara, que mais tarde seria conhecido como D. Pedro I. Outro personagem que fez parte deste momento foi José Bonifácio de Andrada e Silva. A independência obtida pelos brasileiros foi uma resposta a tentativa da burguesia portuguesa de interferir mais no país, durante o Período Joanino.

As principais causas da independência do Brasil

As causas da independência brasileira estão relacionadas com o Período Joanino e com a transferência da corte portuguesa para o Brasil, que aconteceu durante os anos 1807 e 1808. Isto aconteceu por meio de uma invasão de Portugal pelas tropas napoleônicas em represália ao fato dos portugueses não quererem aderir ao Bloqueio Continental. Enquanto a família real portuguesa chegou ao Brasil, também houve mudanças dentro do país, como a abertura dos portos, a autorização dos comerciantes a negociarem com os ingleses ou também a instalação de bibliotecas e museus como forma de incentivo à cultura.

Todas as mudanças tiveram como resultado um aumento ao nível da população da cidade do Rio de Janeiro e a um desenvolvimento econômico, a causa principal sendo os comerciantes que passaram a negociar com os ingleses, tendo em conta o Tratado de Comércio e Navegação de 1810. A maior mudança que iria acontecer era o fato que o país teria que tomar a condição de reino, deixando de ser uma colônia. A nova condição dos brasileiros não era boa para Portugal, sobretudo porque o país passava por uma grande crise política e econômica e isto só pela ausência do rei e pela liberdade que foi dada aos brasileiros.

Os portugueses fizeram parte da Assembleia Nacional, mais conhecida como Cortes Gerais, que tinha como objetivo enfrentar a crise que afetava o país. As Cortes tinham dois maiores objetivos: o retorno de D. João VI a Lisboa e que o país ainda seja uma colônia. O rei ficou dividido entre a dúvida de se retornar ou não a Portugal, mas a ameaça conseguiu o convencer a retornar à Lisboa em abril de 1821.

A independência do Brasil

As cortes portuguesas ainda continuavam a ter medidas que não deixavam tranquilos os brasileiros. A situação não era boa. Existiam medidas para que algumas instituições fossem transferidas para Portugal e que também novas tropas militares fossem transferidas ao Rio de Janeiro. Todos estes movimentos legais deram motivos ao Brasil para separar-se e aclamar sua independência. Tornou-se um movimento pela elite brasileira para que D. Pedro I permanecesse no país. Esse movimento do dia 9 de janeiro de 1822 foi conhecido na história como o “Dia do Fico”. O D. Pedro I disse as seguintes palavras:

Como é para bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto; diga ao povo que fico.

Em maio de 1822 foi criada a ordem conhecida sob o nome de “Cumpra-se”. Isto significava que todas as ordens que foram emitidas em Portugal só eram válidas no Brasil. Um mês depois, em 1822, foi formada a Assembleia Constituinte. As leis das Cortes portuguesas eram consideradas irreconciliáveis e intolerantes com os interesses brasileiros. Por este motivo, no dia 28 de agosto, novas ordens de Lisboa chegaram ao país.

D. Pedro I teria que retornar a Portugal, os privilégios da abertura do país seriam revogados e todos os ministros de D. Pedro I seriam presos por traição. Todos os movimentos convenceram D. Maria Leopoldina que a ruptura entre Brasil e Portugal era inevitável e em 2 de setembro assinou o decreto de independência. D. Pedro I foi alcançado no dia 7 perto do rio Ipiranga. A partir deste dia o país começou a ser uma monarquia e procurou reconhecimento internacional.

A independência não foi pacífica assim como muitas pessoas pensavam. Ocorreu uma guerra entre os brasileiros e os portugueses que estavam em diferentes partes do país. Esta guerra aconteceu porque muitos não estavam de acordo com o movimento iniciado por D. Pedro I e foi necessário que sejam mobilizadas tropas que garantissem a unidade territorial.

Foram combates em todo o país e também nas províncias do Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Bahia e Cisplatina. A guerra começou em 1824 e a vitória levou ao reconhecimento da independência pelos portugueses em 1825. Como outra consequência, Dom Pedro I foi coroado imperador e o seu nome mudou para D. Pedro I em 1 de dezembro de 1822. Também foi inaugurado o Primeiro Reinado que durou existiu entre 1822 e 1831.

Se gostares ler sobre como outros países ganharam a sua independência, recomendo-te ler este artigo que detalha o caminho do São Tomé e Príncipe para obter a sua independência. 

Fontes:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *