76 anos desde o Holocausto – afinal, tem culpado?

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Holocausto
Fotografia: pixabay.com

Durante a Segunda Guerra Mundial, os Nazis mataram quase seis milhões de judeus. O genocídio em massa será mais tarde conhecido para todos como “Holocausto”. O objetivo, como Hitler quis, era erradicar toda a população judaica.

Holocausto ou Shoah?

O termo “holocausto” vem do grego antigo e significa “oferta queimada”. Foi usado mesmo antes da Segunda Guerra Mundial, mas depois de 1945, foi altamente associado ao assassinato de seis milhões de judeus. O que aconteceu durante a guerra também é conhecido como “Shoah“, que em hebraico se refere a “catastrofe”.

Como aconteceu o Holocausto?

As razões pelo aparecimento do Holocausto são várias. A principal era o desejo de Hitler de erradicar os judeus e de garantir que a raça era puramente ariana, como ele descreveu em “Mein Kampf“. Tratava-se de ideologia nazi antissemita em relação ao racismo e ao nacionalismo. Os judeus europeus foram discriminados e perseguidos há centenas de anos, a maioria por razões religiosas.

Por exemplo, muitos dizem que eles são culpados pelo assassinato de Cristo. Durante a Idade Média, foram forçados a viver fora da comunidade, em bairros ou guetos separados e foram proibidos a exercer as suas profissões. Na Rússia, após o assassinato do czar Alexandre II em 1881, foram muitos os surtos de violência em que os judeus foram mesmo assassinados.

Fotografia: pixabay.com

O Holocausto – Hitler nunca escondeu que odiava os judeus

Em 1918, quando a Alemanha perdeu a Primeira Guerra Mundial, os judeus também foram culpados por serem explorações capitalistas. Estavam associados a aproveitarem-se dos outros e à escolha do comunismo sobre qualquer visão política. Em “Mein Kampf”, Hitler nunca escondeu que odiava os judeus e que mereciam serem perseguidos. No entanto, nunca ilustrou o seu desejo de vê-los todos mortos. Só depois do início da Segunda Guerra Mundial foi que os nazis começaram a pensar no plano final.

A Vida dos Judeus na Alemanha durante o Holocausto 

Entre 1933 e 1939, a vida na Alemanha para os judeus foi extremamente difícil, quase impossível. Os judeus foram vítimas de discriminação, exclusão, roubo e até violência. Às vezes eram mortos, mas os alemãos não estavam a começar a implementar o plano de solução final. No início, o principal objetivo era fazer com que os judeus se mudassem para fora da Alemanha. Deixaram de ter os seus negócios, exercer a sua profissão ou entrar nos pubs e parques públicos.

Após as Leis Raciais de Nuremberga, em 1935, aos judeus lhes foi proibido se casarem com pessoas de outras religiões. Perderam também a sua cidadania, o que os transformou em cidadãos com poucos direitos. Em 1938, organizaram-se pogroms na Alemanha, mesmo que é conhecido como Kristallnacht ou Crystal Night. Casas judaicas, sinagogas e lojas foram destruídas e pessoas foram levadas para campos de concentração. Em setembro de 1939, quase 250.000 judeus fugiram da Alemanha devido à violência e à discriminação.

A Segunda Guerra Mundial – o início da perseguição aos judeus

A invasão da Polónia, em setembro de 1939, levou a outra fase de perseguição aos judeus. A guerra tornou a emigração impossível. Ninguém podia sair do país sem os documentos necessitados. A ocupação da Polónia significa que a população estava agora sob as leis alemãs. Os judeus agora trabalharam em guetos, sem qualquer condição de vida adequada.

As framílias eram muitas vezes reunidas na mesma casa, sem qualquer alimento ou cuidados médicos. Os judeus não podiam sair do gueto sem uma razão relacionada ao trabalho, que não seja de máxima importância. Destes guetos, os judeus foram deportados para os principais campos de concentração como Auschwitz, Sobibor ou Treblinka.

Invasão na União Soviética – o início da solução final do Holocausto 

A Alemanha invadiu a União Soviética em junho de 1941. Hitler queria destruir o regime comunitário. O exército foi ordenado a matar qualquer assassino suspeito, sem o direito de ser apresentado a um julgamento. Matando e oferecendo as piores condições, os alemães queriam criar o Lebensraum, uma colónia própria. Os judeus que foram encontrados no território, eram denunciados a um ponto central, com o pretexto de deportação. Os Nazis levavam-nos para um lugar escondido, onde assassinaram todos. Quase 900.000 judeus da União Soviética foram mortos desta forma.

Os primeiros campos de concentração

No final de 1941, os Nazis estavam a preparar o seu plano de solução final. Mais de dois milhões de judeus da Polónia deviam ser levados para campos de extermínio. Este plano começava a ser implementado noutras partes da Europa Central. Também conhecido como Aktion Reinhard, os Nazis construíram campos de extermínio como Belzec, Sobibor e Treblinka. Aqui, após a chegada, os judeus foram assassinados em câmaras de gás. Muito poucos foram selecionados para o trabalho de força.

Fotografia: pixabay.com

O principal objetivo dos campos de extermínio era disponível para a população judaica. Apenas poucos foram mantidos vivos para que pudessem ajudar com aquilo que os Nazis precisavam. Em novembro de 1943, Aktion Reinhard chegou ao fim. Os campos foram destruídos e os corpos foram escavados e depois queimados, para os aliados não encontrarem vestígios daquilo que tinha acontecido.

Para ter certeza de que os seus crimes são eliminados, os Nazis plantaram árvores nas sepulturas comuns. Quase 1,75 milhões de judeus foram assassinados durante a Aktion Reinhard.

A deportação da Europa para Auschwitz

Nos meados de 1942, as deportações dos judeus da Europa para Auschwitz começaram. Os números e as decisões diferem em cada país. Dos Países Baixos, por exemplo, quase 104.000 judeus foram deportados. Na Bélgica ou na França, os números eram mais baixos. Os judeus foram juntados em aldeias, sem comida ou água, mas apenas com um balde que usaram como casa de banho. A maioria dos transportes acabou em Auschwitz-Birkenau. Alguns foram transferidos diretamente para campos de concentração mortal.

De 101.800 judeus holandeses que foram assassinados, 34.000 vendidos em Sobibor.

Auschwitz-Birkenau era um campo de trabalho e um campo de extermínio. Os judeus foram selecionados para poderem fazer, saúde e capacidade de trabalho. Aqueles que não completaram as tarefas, vieram assassinados imediatamente.

Os outros foram para fazer trabalhos forçados em condições difíceis. O trabalho foi muito duro, comida e água quase inexistentes e nem havia higiena. Devido a isso, muitas infeções começaram a aparecer, tais como difteria ou tifo.

A desnutrição, os danos e a exaustão foram as principais causas de morte mesmo depois da guerra.

Os judeus foram levados dos países de groselha da Europa Central. Durante 1943 e 1944, os transportes partiram da Itália, Hungria, Grécia e dos Balcãs. Só quando os aliados se aproximavam de Berlim, as perseguições pareciam chegar ao fim. Durante os últimos meses da guerra, os judeus estavam a sair dos campos, em marchas de morte. Quem não completava a viagem, era baleado no local. A desnutrição, os danos e a exaustão foram as principais causas de morte mesmo depois da guerra.

Quem sabia do Holocausto?

Quase 6 milhões de judeus morreram nos campos de concentração em toda a Europa. Muitas histórias ficaram por serem contadas e algumas ainda estão a ser descobertas através das gerações que surgiram após a guerra. Adolf Hitler queria eliminar, a todo custo, a população judaica e os destaques que foram reunidos no julgamento de Nuremberga, provaram o seu desejo mortal.

Mas quem mais sabia o que estava a acontecer nos campos de concentração? É difícil estabelecer, mesmo depois de 76 anos, se a população alemã sabia exatamente o que estava a acontecer. Mesmo que o fizessem, as hipóteses de fazer alguma coisa, estavam fechadas a 0. Quem quis ajudar ou esconder um judeu das perseguições, acabou morto ou por sofrer as mesmas consequências.

A população que estava perto dos campos de concentração sabia exatamente o que se estava a passar.

Na Alemanha, o objetivo da solução final era secreto para a população, mas, devido a algumas implicações de pessoas que não aguentavam o regime dos Nazis, os rumores começaram a espalhar-se. Os soldados que estavam estacionados, começaram a descrever as execuções que estavam a ocorrer, na carta que estavam a enviar para casa.

Também enviavam fotografias. A população que estava perto dos campos de concentração sabia exatamente o que se estava a passar. Mesmo assim, não podiam ter feito nada.

Hitler suicidou-se antes dos russos chegarem a Berlim

Relatos destes crimes começaram a chegar aos Aliados a partir de 1942. Ainda assim, demorou o suficiente para estas histórias chegarem aos Estados Unidos da América. No início, os crimes foram negados, porque os Aliados acreditavam que as pessoas não eram capazes de fazer tal coisa.

Só quando os campos de concentração foram libertados e os Aliados começaram a ver com os seus próprios olhos o que aconteceu, que as histórias eram verdadeiras. Certificando-se de que ninguém esquecerá ou preparará o que aconteceu, os Aliados levaram a população a ver as atrocidades que ocorreram nos campos de concentração.

Rudolf Hess, Herman Goering e Albert Speer, próximos de Adolf Hitler, foram julgados em Nuremberga.

Depois que a guerra chegou ao fim, a caça navis começou. Hitler suicidou-se antes dos russos chegarem a Berlim. Junto com ele estava Eva Braun e Goebbels com a sua família. Adolf Eichmann conseguiu encontrar refúgio na Argentina, mas foi deportado para Israel nos anos 60, para o julgamento dos crimes que ordenou. Josef Mengele escapou do julgamento dos Aliados forçados e nunca mais foi encontrado desde então.

Acredita-se que tenha ido para o Brasil, por vezes por volta de 1979. Rudolf Hess, Herman Goering e Albert Speer, três outras pessoas próximas de Adolf Hitler, foram julgados em Nuremberga. Receberam penas como prisão perpétua, 20 anos de presença e morte. Os julgamentos em Nuremberga começaram em 20 de novembro de 1945 e terminaram algures entre 30 de setembro e 01 de outubro de 1946.

Olhemos para trás na história da semana 18-24 de janeiro neste artigo aqui!

 363 total views,  1 views today

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *